Ministério Público recomenda que FMS adote medidas para desestimular prática de “escolha da vacina”

 imagem de reprodução

Em razão das notícias de pessoas que estão se recusando à imunização contra a covid-19 por conta do fabricante da vacina, o Ministério Público do Estado do Piauí, por intermédio da 29ª Promotoria de Justiça de Teresina, expediu recomendação ao presidente da Fundação Municipal de Saúde, Antônio Gilberto Albuquerque, para que adote medidas necessárias a desestimular a prática.

Uma das providências que podem ser adotadas é que o indivíduo que se recuse a receber o imunizante por conta do fabricante fique impedido de agendar nova vacinação por determinado período, ou que seja reposicionado ao final da fila de vacinação, conforme o cronograma de imunização municipal.

A outra recomendação é que sejam adotadas providências para a identificação e controle dos vacinados, com a finalidade de evitar que indivíduos recebam mais doses de vacina contra a covid-19 que o determinado pelo fabricante.

“A ‘escolha de vacina’ gera atrasos e prejudica a organização e operacionalização da campanha de imunização em Teresina. A vacinação não é mera ferramenta de proteção individual, mas coletiva, e evita a propagação da doença quando um grande percentual da população é vacinada”, ressaltou o promotor de Justiça Eny Pontes, que assina a recomendação.

 

 

Fonte:MP-PI

Mais de Teresina