Por suspeita de quase 2 mil fraudes PF prende advogados e servidores públicos previdenciários no PI e MA

Ao todo, há 39 anos mandados de prisão - temporária e preventiva - expedidos contra suspeitos no Maranhão e no Piauí.

Imagem de reprodução

 Imagem de reprodução

A Polícia Federal do Piauí (PF-PI) prendeu advogados e servidores públicos na manhã desta terça-feira (9) por meio da “Operação Bússola”, que investiga um grupo suspeito de fraudes previdenciárias. As investigações iniciadas em 2020 registraram quase 2 mil benefícios concedidos com indícios de fraude e prejuízo estimado em R$ 55,8 milhões, segundo informação do G1-PI.

Ao todo, há 39 anos mandados de prisão - temporária e preventiva - expedidos contra suspeitos no Maranhão e no Piauí. Há também 59 mandados de busca e apreensão sendo cumpridos. Os nomes dos investigados e presos ainda não foram informados. Ainda não há também o número total de presos.

Marcus Nogueira, presidente da comissão de defesa das prerrogativas da Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional Piauí, informou que acompanhou a prisão de três advogados em Teresina.

Os mandados expedidos pelo Juízo da 1ª Vara Federal de Teresina estão sendo cumpridos na capital piauiense, em Luzilândia (PI), Demerval Lobão (PI), Santo Antônio dos Milagres (PI), Timon (MA), Caxias (MA), Presidente Dutra (MA), Parnarama (MA), Codó (MA), Anapurus (MA) e São João do Sóter (MA).

Alguns dos mandados de busca e apreensão foram cumpridos em residências e escritórios ligados aos advogados. Foram apreendidas quantias em dinheiro nos locais. Segundo o presidente da comissão, pesa contra os profissionais a acusação de fraude previdenciária.

Foram mobilizados mais de 200 Policiais Federais dos Estados do Piauí, Ceará, Maranhão, Pernambuco, Sergipe, Paraíba e Tocantins.

 

 

Fonte:G1-PI

Mais de Geral