Roberto Carlos defende o fim do aperto de mão por conta da Pandemia

"Me acham exagerado"

Roberto Carlos toma segunda dose de vacina contra Covid-19 Foto: reprodução/ instagram

 Roberto Carlos toma segunda dose de vacina contra Covid-19 Foto: reprodução/ instagram

Aos 80 anos e já imunizado com as duas doses da vacina contra a Covid-19, Roberto Carlos segue tomando todos os cuidados. Portador de Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC), o cantor contou como vem enfrentando a pandemia. Seundo divulgou matéria do Extra, desde o início do isolamento, os funcionários que trabalham na casa de Roberto foram proibidos de usar transporte público e só ele pode entrar em seu carro. Nos dias de tomar o imunizante, ele foi dirigindo sozinho seu veículo. Além disso, o Rei defende a extinção do cumprimento com a mão.

"Imagina como não é uma pessoa com TOC na pandemia! Eu encaro com muito cuidado e muita gente me acha até exagerado, mas eu não acho. Acredito que se todos tivessem esses cuidados, a coisa poderia estar melhor. Essa coisa de cumprimentar com a mão, por exemplo, não deveria existir, deveria ser o cumprimento oriental, só se curvando. Evitaríamos até gripe. Essa doença é traiçoeira e todos precisam ter cuidado, usar máscara e manter o distanciamento", disse Roberto à "Caras".

Canção inédita

Do isolamento de seu apartamento na Urca, na Zona Sul do Rio, Roberto Carlos só saiu para ir ao casamento do filho Dudu Braga, na última semana, em São Paulo, e para ir ao seu estúdio, do lado de casa. Foi lá que o Rei gravou "Bicho solto", música nova que ele deve lançar agora em setembro. Outra novidade será o dueto com a cantora Liah Soares, que fará parte da trilha sonora de "Um lugar ao sol", próxima novela das nove. "Estou com saudades dos palcos. É ali que não tenho problema", afirmou o cantor.

 

Fonte:Extra/Globo

Mais de Brasil